O Fundo da Folia - Global Garbage

O Fundo da Folia

Só que ao invés de estarem pulando, dançando e se beijando ao som frenético e ensurdecedor dos trios elétricos, os foliões do fundo do mar estavam rolando de um lado para o outro numa mórbida coreografia, empurrados silenciosamente pelo balanço do mar, sem dança, sem alegria, sem vida e sem poesia.

 

Bernardo Mussi

04 de março de 2010

O Fundo da Folia

 

O Fundo da Folia

 

Dez dias após o carnaval, resolvi mergulhar com dois amigos na área do Farol da Barra para confirmar a notícia de que havia uma quantidade absurda de lixo espalhada pelo fundo do mar naquela área.

 

O Fundo da Folia

 

Mesmo com a água um pouco suja por causa das chuvas do dia anterior, logo identificamos o local. Na verdade o lixo não estava espalhado, mas concentrado em um canal provavelmente em razão do movimento das marés. Uma cena lamentável! Eram pelo menos mil e quinhentas latinhas metálicas e garrafas plásticas.

 

O Fundo da Folia

 

Da superfície o visual parecia com as imagens áreas que vemos dos blocos de carnaval durante a festa momesca. Só que ao invés de estarem pulando, dançando e se beijando ao som frenético e ensurdecedor dos trios elétricos, os foliões do fundo do mar estavam rolando de um lado para o outro numa mórbida coreografia, empurrados silenciosamente pelo balanço do mar, sem dança, sem alegria, sem vida e sem poesia.

 

O Fundo da Folia

 

Assustados, decidimos não retirar o material naquele dia na esperança de tentar sensibilizar algum veículo de comunicação para fazer uma matéria com imagens subaquáticas. A intenção era compartilhar aquela agressão carnavalesca com nossa população e os donos da folia.

 

O Fundo da Folia

 

Fizemos contato com pelo menos três emissoras e todas pediram que enviássemos e-mails com fotos, o que fizemos imediatamente. Aguardamos respostas por dois dias e como não tivemos qualquer retorno, optamos por retirar o lixão de lá para evitar maiores danos.

 

O Fundo da Folia

 

O Fundo da Folia

 

A bem da verdade estávamos super desconfortáveis com nossas consciências por termos testemunhado aquela cena e deixado para resolver o problema dias após. Mas tínhamos que tentar a matéria para que a ação não se resumisse somente à coleta do material.

 

O Fundo da Folia

 

O Fundo da Folia

 

Tínhamos em mente que a repercussão sensibilizaria os empresários e artistas do carnaval, os órgão públicos, a imprensa, as empresas financiadoras e nossa gente. A tentativa foi boa, mas não rolou…

 

O Fundo da Folia

 

Fomos então, no terceiro dia após o primeiro mergulho, retirar o material. Antes, porém, fiz questão de chamar um amigo que tem uma caixa estanque para filmarmos a ação e guardarmos o documentário visando trabalhos futuros e até mesmo a matéria que queríamos na TV.

 

O Fundo da Folia

 

Sem cilindro de ar e contando apenas com duas pranchas de SUP (Stand Up Paddle) e alguns sacos grandes, éramos quatro mergulhadores ousados retirando do fundo do mar tudo o que podíamos naquela tarde.

 

O Fundo da Folia

 

O Fundo da Folia

 

O Fundo da Folia

 

O Fundo da Folia

 

Pouco antes de o sol se pôr conseguimos finalmente colocar todo o lixo na calçada.

Muitos curiosos, inclusive turistas, olhavam intrigados a nossa atitude e a todo o instante nos questionavam sobre a origem daquele resíduo. A resposta estava na ponta da língua: Carnaval!

 

O Fundo da Folia

 

Vou logo informando aos amigos leitores que não sou contra o carnaval, muito pelo contrário, sou fã por diversos motivos, mas acho que a realidade da festa não guarda a menor relação com as belíssimas cenas, as informações rasgadas de elogios e a excessiva euforia amplamente divulgada pela mídia.

Sei que o comprometimento com os patrocinadores e aquela velha guerrinha de vaidades contra os carnavais de outros estados como Pernambuco e Rio de Janeiro, acabam conspirando para isso. Mas vejo aí um modelo cansado, super dimensionado, sem inovações socialmente positivas e remando na direção oposta ao desenvolvimento sustentável da nossa cidade.

Aquele lixo submarino é um pequeno sinal deste retrocesso. Pior, patrocinado solidariamente pelos grandes empresários, artistas e principalmente pelo poder público que tem o dever de melhorar nossa segurança, nossa saúde e educação.

 

O Fundo da Folia

 

O Fundo da Folia

 

O Fundo da Folia

 

Aproveito o embalo para incluir indignação semelhante sobre os eventos realizados na praia do Porto da Barra durante o verão.

O “Música no Porto” e o “Espicha Verão” não tem trazido nada de bom para nossa cidade, além da oportunidade de vermos ótimos artistas de perto e de graça. De resto, o lixo, o mau cheiro, a degradação ambiental, o xixi pelas ruas, a impressionante quantidade de ambulantes amontoados por todos os espaços públicos e a agressão aos patrimônios históricos, são um grande “pé na bunda” do turista de qualidade.

  

Espicha Verão 2010. Foto: João Ramos / Bahiatursa

 

Espicha Verão 2010. Foto: Luciano da Matta / Agência A Tarde

 

Espicha Verão 2010. Foto: João Ramos / Bahiatursa

 

Espicha Verão 2010. Foto: João Ramos / Bahiatursa

 

É o mesmo que olhar para uma bela maçã com a casca brilhante e aspecto suculento, porém, apodrecida por dentro…

Naquele final de tarde acabamos contemplando um por do sol diferente. O monte de lixo empilhado na calçada do Farol da Barra virou atração. E como Deus é grande, fomos brindados com a presença de valorosos catadores de rua para finalizar a limpeza.

 

O Fundo da Folia

 

Desta ação, além das ótimas imagens documentadas em vídeo, resta rezar para que os donos do carnaval, dos eventos no Porto da Barra e nossos queridos foliões se toquem que algo tem que mudar.

 

O Fundo da Folia

 

O fundo do mar não merece aquele bloco reluzente e, ao contrário do asfalto, o oceano costuma revidar violentamente as agressões sofridas.

Não tem alegria alguma no fundo da folia!

 

O Fundo da Folia

 

Galeria de fotos

Slideshow

Fotos: Francisco Pedro/Global Garbage
francisco.pedro@globalgarbage.org

Fotos do Espicha Verão 2010: João Ramos / Bahiatursa e Luciano da Matta / Agência A Tarde

Nota:
A matéria O Fundo da Folia foi publicada no dia 05 de março. No dia 15 de março, nós substituímos as fotos do Espicha Verão 2010. As fotos atuais (Bahiatursa e Agência A Tarde) foram feitas no dia 13 de março, encerramento do Espicha Verão 2010. A campanha pela preservação do meio ambiente, coordenada pelo IMA - Instituto de Meio Ambiente do Estado da Bahia, só foi realizada no dia do fechamento (13 de março) do Espicha Verão 2010. 

Link: http://www.globalgarbage.org/blog/index.php/2010/03/05/o-fundo-da-folia/

Link para Twitter: http://bit.ly/o-fundo-da-folia  

 

Outros artigos de Bernardo Mussi

Carnaval longe da praia

O lixão precisa de música



751 Responses to “ O Fundo da Folia ”

  1. Almiro Gustavo disse:

    Somos verdadeirmente pisoteados, desrespeitados como cidadãos pela crueldade do poder economico desta cidade com a conivencia do poder público que se vende para os barões que se acham proprietários do espaço público da Ondina e Barra. O Carnavel do circuito Ondina-Barra já deveria ser retirado há anos, pois carnaval foi um evento de respeito, hoje é conhecido no mundo como o “carnaval do sexo”, formado por maioria de jovens regados de bebidas alcoolicas e bastante drogas.
    O evento que dão o nome de Carnaval, de carnaval nada existe, o que predomina é o sexo em vias públicas, bebidas e drogas atropela os direitos de ir e vir dos moradores, impede os cidadão de dirigir-se à suas residencias com apoio da policia, inclusive usando da brutalidade e violencia.
    Pergunto: A constituição deste país foi jogada na lata do Lixo ?
    Com a palavra o Ministério Público.

  2. Rodrigo disse:

    Acho que o problemas das pessoas é que elas tem que ter mais educação em algun determinados lugares que eles chegam.

  3. Dic Travassos disse:

    Parabéns a vocês mergulhadores pelo gesto de solidariedade a natureza, ao ser humano, que atitudes como a de vocês se multipliquem e,ao contrário de comentários infelizes sobre a educação do povo da Bahia,penso que para grande parte de nós brasileiros falta-nos consciência ecologica e sobre tudo, respeito ao proximo, abraços

  4. Neimar Castro disse:

    Gostei muito da matéria.
    Pena que é a nossa realidade.
    São pessoas como vocês que vão fazer a diferença.
    Existem muitas empresas preocupadas com o Meio Ambiente, agora essas empresas que promovem essas festas tem que se preocuparem mais.
    Desenvolvimento Sustentável, Gestão Ambiental, Pegada Ecológica, enfim vários são os instrumentos para minimizar o impacto ambiental que porventura venha causar suas atividades.
    Abrço..

  5. [...] chamou nossa atenção. Era a publicação de algumas fotos retiradas do site

  6. Angelo disse:

    O pior é que vem para São Paulo e fazem isso em São Paulo também.

  7. Lauro disse:

    Duas coisa remetem a isso:
    a cultura do povo e a teoria das janelas partidas.

    Parabéns aos quatro mergulhadores pela nobre iniciativa.

  8. sonia disse:

    A insustentabilidade está travada pelo proprio povo, e o turista se espelha nesses atos de vandalismo para dar vazao ao troglodita que vai dentro de cada um. A alegria do carnaval nao deveria se perder em atitudes de descaso e desrespeito. Parabens aos rapazes que se preocupam em preservar o meio ambiente, a nossa casa.

  9. [...] taken back in February, right after Carnival celebrations in Salvador, my home town, and posted on Global Garbage, an interesting bilingual English-Portuguese website. The post is by surfer Bernardo Mussi. He [...]

  10. Carlos disse:

    Cara, parabéns pela atitude.

    O problema do povo é educacional. Moro em São Paulo, e é vergonhoso o que vemos por aqui. As pessoas arremessam latas das janelas dos ônibus, sem nem se importar se há algo embaixo. O lixo é jogado na rua de qualquer forma, não há coleta seletiva e não há um incentivo e educação do povo neste sentido.

    Quando vamos aos parques vemos que o lixo está por qualquer parte, mesmo que haja placas de orientação e lixeiras em todos os lugares.

    O povo é responsável por grande parte do lixo, não só produzido, como “distribuído”, e isso é uma disfunção educacional.

    Isso é uma vergonha para o nosso povo. A sujeira e a desorganização são dois itens que acompanham os brasileiros por séculos, e eu particularmente, não vejo ninguém fazendo nada para mudar esse cenário.

    Entretanto, são pessoas como vocês que nos dão orgulho, e infelizmente fazem parte de um parte bem pequena da população que é diferenciada, pois gostaria que esse tipo de atitude fosse uma regra, e não uma excessão.

  11. Lu Dantas disse:

    Que vergonha para o ser humano tanta falta de consciência..
    E que bom que no mundo existem pessoas como vocês. Parabéns!!

  12. Guilherme Cruz disse:

    Sou caçador submarino e conheço essa dificil realidade.

    Oque mais me incomoda são as intrigas relacionadas nos comentarios, pois a vista grossa da midia e do poder publico já é esperada, mas uma discurssão boba como essa que esta ocorrendo nos comentarios que é lamentavel.

    Seja ou não baiano, seja ou não turista quem poluio, não importa, o importante é cada um ter a mente limpa e critica para o evento em questão. faça uma boa ação e contribua para despoluição.

    Parabéns aos mergulhadores!

  13. igor e willian disse:

    parabéns pela a iniciativa gostei, nós gostamos muito do seu site.

  14. Gislaine disse:

    Atribuir a culpa apenas aos baianos é fácil, mas não devemos esquecer que grande parte dos turistas vem à nossa cidade sem o menor compromisso com a ordem, ou com limpeza e fazem pior!

  15. robson disse:

    parabéns pela iniciativa, também sou mergulhador e fazemos o mesmo nas praias de maceió alagoas. grande abraço.

  16. nino disse:

    vamos aplaudir os que se preoculpam com nosso planeta
    aloha

  17. Vera Lucia disse:

    Que documentàrio belo. E uma vergonha para o nosso pais, que està tentando vender e viver do turismo. Eu faço um trabalho voluntario aqui na Itàlia sobre reciclagem e os parabenizo pela a brava coragem e iniciativa.Gostaria de pedir a vossa permissao se for possivel, para inserir algumas fotos, em um trabalho de reciclagem que estou projetando.
    Continuem assim, bravos rapazes!

  18. Alo Ivete
    Alo Chiclete
    Alo “remolhecho”…
    Ao invés de proclamar a euforia histérica de um povo não educado…
    Que tal incentivar o apoio à natureza?????

  19. [...] Brazilian friend Joana sent us this link to the blog Global Garbage and these amazing photos of post-Carnival beach/ocean trash. via Global [...]

  20. Leonardo disse:

    Nossa que povo porco, até quando essas pessoas irracionais não vão pensar em melhorar a situação ambiental no País, hoje acontece isso fácil em praias e vias urbanas, eu sou tão criterioso quanto a isso que até mesmo quando estou no centro de são paulo (na minha opinião o lugar mais sujo que conheço) sempre jogo no lixo até papeis de bala, mesmo quando não encontro guardo no bolso e jogo no lixo assim que encontro, só tenho a dizer estão de parabéns vcs todos !!

  21. São um bando de fanfarrões q só sabem destruir, esgotar, banalizar e que se foda o resto do mundo!

    KD A CONCIÊNCIA DO SER HUMANO…

    isso ai não é ser gente…é o contrário….BICHOS totalmente IRRACIONAIS

  22. kao disse:

    o pior é eles gostam de mijar na rua e monumentos ,até dentro de onibus eu sentí o cheiro. (reportagem da Veja semana passada)no rio estão tendo mais educação e o municipio está colocando mais recipientes de coleta.

  23. Gabriela disse:

    Sem piadas idiotas como alguns dos comentários fizeram….
    O mundo precisa de mais pessoas com iniciativa como os quato rapazes. Se todos pensassem assim, concerteza viveriamos em um mundo infinitamente melhor e mais bonito!
    Parabéns rapaziada

  24. [...] “Sem cilindro de ar e contando apenas com duas pranchas de SUP (Stand Up Paddle) e alguns sacos grandes, éramos quatro mergulhadores ousados retirando do fundo do mar tudo o que podíamos naquela tarde”, afirma Bernardo Mussi, um dos mergulhadores, no site da Global Garbage. [...]

  25. [...] .[[Fonte: GlobalGarbage] // Tags: Bahia, Bernardo Mussi, Carnaval, Farol da Barra, Folia no fundo do mar, Francisco [...]

  26. alexandre disse:

    so podia ser na bahia…

  27. Cristiane Gomes Henriques de Souza disse:

    Parabéns aos quatro rapazes!! É um absurdo a quantidade de lixo gerado nessas épocas de festas!

    Também moro numa cidade praiana (Santos/Sp) e às vezes me pego caminhando a beira mar e recolhendo latas, garrafas, embalagens, bitucas de cigarro, fraldas e tantas outras coisas que são descartadas no chão como se outra pessoa tivesse a obrigação de catar, custa procurar uma lixeira? E não tem a desculpa “não há lata de lixo”, oras, leve uma sacola para a praia e reúna seu lixo!!!!

    Não há consciência que o Planeta está “chegando ao fim” por nossa causa?? Se não dermos exemplo às crianças, estas crescerão e não terão respeito algum pelo meio ambiente!

    Custa não jogar lixo no chão? Ou pela janela do carro? Eles acham o quê? Que desaparecerá como num passe de mágica??!
    Ou a idéia idiota de dizer que está mantendo o trabalho dos garis?

    O absurdo maior foi a mídia não ter dado importância!! Parabéns a “skol” pelo apoio!

    Deixo aqui impressa minha indignação e aviso que estou divulgando por email os sites sobre essa matéria tão importante!

  28. Marta Costa disse:

    ….que horror!! O q mais nos deixa perplexo é o descaso da mídia! Realmente estamos vivendo num mundo de vaidades…morreremos por isso, só não vê quem não quer. Parabéns aos mergulhadores, vcs são um exemplo de solidariedade…Mta luz e paz pra vcs!!

  29. Arnaldo Alves disse:

    E assim caminha a humanidade!!!
    Imaginem o que não fazem com os rios pelo Interior.
    ….Rio jequitinhonha no Sul da Bahia, os turistas são diferentes, mais partem dos mesmos locais, iguais os dos Carnavais; só que para os rios é para a pesca predatoria e assassinas.
    Ja vi muito isso!!
    Quando esse tipo de materia e/ou protesto chega a publico através da Internet, os órgãos de imprensa faz sua “vista grossa”, Claro!! as fotos que ali estão do fundo do mar, é fotos das maiores marcas que subsidiam o Carnaval e emissoras.
    Será que conseguiremos salvar o Planeta?
    Com a palavra os mais jovens!!

    Arnaldo Alves

  30. Magda disse:

    No mais recente feriado de São Jorge (23/4/2010) estive em Búzios com minha família e fiquei chocada com a quantidade de latas e sacos plásticos em diversas praias, não só na areia como no fundo do mar.
    A praia da Ferradurinha que era uma delícia para pequenos mergulhos em apnéia estava com o costão direito tomado por latinhas, além de inúmeros preservativos. Pena que não tinha máquina sub para registrar. O pior: tinha dezenas de tartarugas no entorno da praia.
    Uma vergonha! Um lugar tão bonito, frequentado por pessoas sem educação!

  31. fernando disse:

    Poo, baiano já é bem mal aducado, ficar fazendo show em praia é pedir pra o mundo se acabar.

    • Laura disse:

      Sr.Fernando

      bom dia
      Pena,não ter recebido estas imagens há um ano atrás…assim, já teria respondido ao senhor.
      Ao contrario da sua afirmação,o “povo baiano” não é mal educado e sim alegre,que sabe receber, fazer amigos,brincalhão, feliz! Também com uma orla dessa….Agora:tem pessoas que não respeitam o Planeta, que vem a Bahia para passar o Carnaval e teem atitudes assim: jogar latinhas no mar e não nas lixeiras.
      Uma pena que o Sr. talvez, não conheça a Bahia….mas, está convidado e este preconceito de “povo mal educado” saia da sua cabeça.
      Um abraço

Leave a Reply