Lixo Marinho no Canadá

No Canadá, mesmo com a maior linha costeira do mundo, aproximadamente 234.042 km, o inerente problema de lixo marinho continua, em grande escala, escondido ou desconhecido. Isto ocorre, parcialmente, devido à singularidade geográfica da linha costeira do Canadá.

 

Lixo Marinho no Canadá

Valerie Thom, B. Ed.
Diretora Executiva da PITCH-IN CANADA

Valerie Thom

Valerie Thom

15 de julho de 2009

Traduzido por Luís Peazê

No Canadá, mesmo com a maior linha costeira do mundo, aproximadamente 234.042 km, o inerente problema de lixo marinho continua, em grande escala, escondido ou desconhecido. Isto ocorre, parcialmente, devido à singularidade geográfica da linha costeira do Canadá. Mais de 66% está no Ártico, ao longo das costas de Nunavut e Territórios do Nordeste e de um número indeterminado de ilhas, que são áreas cobertas de gelo a maior parte do ano. Muitos dos 34% remanescentes são remotos e inacessíveis, tornando em enorme desafio os esforços de avaliar as verdadeiras dimensões do lixo marinho no litoral canadense.

Nossa organização, a PITCH-IN CANADA, em parceria com a Divisão Marinha do Meio Ambiente do Canadá, comprometeu-se com esse desafio em 1995, desenhando, testando e implementando um Programa – singular e o primeiro deste tipo – Nacional de Inspeção de Lixo Marinho para ser empreendido, em dois anos, nas costas acessíveis do Canadá (leste e oeste).

Buscamos parâmetros importantes de tal modo que as inspeções pudessem ser conduzidas com exatidão e efetivamente por voluntários locais; em praias onde influências antropogênicas terrestres fossem removidas na medida do possível; e que os resultados pudessem ser científica e estatisticamente válidos. Com a consultoria do Dr. Trevor Dixon, que desenhou protocolos de pesquisa para tais inspeções nas costas da Grã Bretanha, e com o Sr. Murray Besler, um estatístico, desenvolvemos uma metodologia de inspeção que alcançou àqueles parâmetros, ajustada especificamente para as mais remotas e muitas vezes severas condições encontradas nos campos de pesquisa.

Para qualquer um que esteja familiarizado com os problemas universais do lixo marinho, os resultados de mais de 5 e 7 anos de pesquisa não foram novidade, consistentes com inspeções científicas similares conduzidas em outras partes do mundo. Entretanto, como o nosso Programa de Inspeção cobriu as duas costas opostas do Canadá, cada uma com as suas influências singulares oceânica, geográfica, cultural e antropogênica, os resultados mostraram algumas diferenças interessantes. Uma proporção significante de lixo plástico, contêineres, na costa oeste, pode ser identificada como vindo de fontes comerciais estrangeiras, usualmente Japão ou Coreia, levando à conclusão de que isto veio de navios; acidentalmente ou descartada de propósito no Oceano Pacífico. Na costa leste, o tipo e as marcas estampadas na maioria dos contêineres de plástico indicaram uma fonte local, a maioria sugerindo fonte doméstica ou de pequenas embarcações comerciais ou de lazer e ou que entram no oceano através de aterros precariamente mantidos ou descartados propositalmente.

 

Isopor, muito usado em píeres públicos e privados, é um componente significante de Lixo Marinho nas praias do Canadá.

Isopor, muito usado em píeres públicos e privados, é um componente significante de Lixo Marinho nas praias do Canadá.

 

Nossa inspeção em ambas as costas, assim como outras na costa leste, também identificaram quantidades de lixo marinho relacionadas com a pesca. Redes perdidas, armadilhas e côvãos para ostra/caranguejo/camarão, enquanto somam apenas cinco por cento do lixo marinho, são um perigo significante ao ambiente marinho em ambas as costas. Em um incidente nas águas da costa de Newfoundland, uma armadilha perdida foi encontrada contendo os restos de pelo menos 10 lontras.

A conscientização das verdadeiras dimensões e consequências do lixo marinho está finalmente alcançando massa crítica, no Canadá e ao redor do mundo.

Nossa organização foi originariamente fundada, a mais de quarenta anos atrás, para dedicar-se a questões do lixo marinho quando um grupo de cidadãos conscientes começou a conduzir limpezas de praias em Victoria, British Columbia. Considerada excentricidade local, tal preocupação cívica é agora vista nas linhas de frente das tentativas de combate a catástrofes ambientais em todo o mundo.
Enquanto o lixo marinho no Canadá costumava ser percebido como apenas um problema costal, agora se tornou crucial que todos os canadenses se conscientizem de suas responsabilidades para com o meio ambiente.

A PITCH-IN CANADA conduz programas educacionais e de conscientização que enfatizam as responsabilidades que todos os canadenses têm com a saúde e limpeza de nossos oceanos, mesmo em nossas províncias sem acesso ao mar, Alberta e Saskatchewan. Os programas da PITCH-IN CANADA incluem a semana anual PITCH-IN WEEK:  “Operação Clean Sweep”, a maior campanha ambiental de voluntários, durante a qual centenas de milhares de voluntários conduzem limpezas de litorais e bases terrestres, assim como projetos de embelezamento, restauração, reciclagem, adubagem e de educação ambiental. Nossos temas de campanha e materiais refletem o crescimento da conscientização de que o descarte de lixo nas ruas e depois carreado pelas vias fluviais, e lixo sem acondicionamento deixado a céu aberto para ser levado até lagos, riachos e rios, terminarão, na maioria, como lixo marinho, poluindo nossos oceanos, colocando em perigo e envenenando a vida marinha e impactando nossa pesca e indústria marítima.

 

O logo da Operação "Clean Sweep" e o tema são utilizados na campanha anual PITCH-IN Week que envolve centenas de milhares de canadenses em projetos de limpeza e embelezamento.

 

Outra campanha de limpeza de litoral que se originou com o Centro de Conservação Marinha dos Estados Unidos, a Campanha Internacional de Limpeza Costal, organizada no Canadá pela PITCH-IN CANADA por vários anos, é agora conduzida anualmente em setembro pelo Aquário de Vancouver como a “TD Great Canadian Shoreline Cleanup”. Isto envolve milhares de voluntários em projetos de limpeza de litoral ao longo do Canadá.

Na costa leste, a Fundação Clean Nova Scotia tem se associado com o público, governos e empresas para advogar em defesa dos ambientes marinho e terrestre limpos naquela província por mais de 20 anos. Atualmente, em cooperação com várias agências, incluindo o capítulo de Pequenas Embarcações de Baías do departamento de Oceanos e Pesca do Canadá, a Fundação lançará um projeto piloto buscando eliminar o descarte de lixo no mar pelo setor pesqueiro comercial através de gerenciamento apropriado em bases terrestres em 20 baías ao longo da Nova Scotia. Os resultados, incluindo materiais educativos, serão compartilhados com outras baías nas províncias marítimas do Canadá; Nova Scotia, New Brunswick e Prince Edward Island.

A educação do público e a crescente conscientização dos efeitos deletérios dos ubíquos sacos plásticos como lixo, e ambos, ambiente marinho e terrestre, têm resultado em outra iniciativa popular em muitas comunidades no Canadá. Sacos plásticos são agora frequentemente sujeitos a cobrança adicional, ou banidos completamente. Muitas lojas, e mesmo algumas comunidades, atualmente produzem seus próprios sacos para embalagem reutilizáveis.

 

Voluntários doam horas de trabalho e caminhões para evacuar o lixo coletado durante a limpeza anual de praia na Ilha Quadra. Esta limpeza anual é uma das centenas conduzidas em vias aquáticas do Canadá durante a Campanha "Clean Sweep": Operação anual PITCH-IN do Canadá.

Voluntários doam horas de trabalho e caminhões para evacuar o lixo coletado durante a limpeza anual de praia na Ilha Quadra. Esta limpeza anual é uma das centenas conduzidas em vias aquáticas do Canadá durante a Campanha "Clean Sweep": Operação anual PITCH-IN do Canadá.

 

Em consequência de mudanças climáticas tem havido uma rápida redução do gelo nas águas no norte do Canadá, tornando uma real possibilidade, num futuro próximo, a passagem no Noroeste do Atlântico para o Pacífico em rota de navios durante todo o ano. Este desenvolvimento tem atraído a atenção do governo federal para o ambiente marinho do norte. Consequentemente, a inspeção aérea das águas do Ártico do Canadá para monitoramento de cargueiros, desencorajar poluidores potenciais e impor regulações de prevenção à poluição está sendo incrementada, em freqüência, tempo de duração e cobertura. Aeronaves receberão também melhoramentos que lhes permitam inspeção no escuro, quando a poluição muitas vezes ocorre. Da mesma forma, como parte da iniciativa federal Saúde dos Oceanos, o Transporte do Canadá irá investir $0.8 milhão em cinco anos para desenvolver e implementar uma Estratégia de Redução de Resíduos de Navio no sentido de prevenir a poluição marinha por navios.

Outra recente iniciativa federal com relação ao lixo marinho, buscando a educação do público, é o lançamento, pelo departamento de Pesca e Oceanos do Canadá, de um excelente DVD sobre Lixo Marinho. Dividido em quatro partes, fornecendo um panorama completo do problema, no mundo e no Canadá, esse DVD constrói um “case” persuasivo tanto para ação individual quanto para ação coordenada.

 

Lixo coletado inclui equipamento destruído de operações de aquacultura. Com frequência as fortes tempestades de inverno do Estreito da Georgia destroem operações de aquacultura, enviando lixo para as praias locais.

Lixo coletado inclui equipamento destruído de operações de aquacultura. Com frequência as fortes tempestades de inverno do Estreito da Georgia destroem operações de aquacultura, enviando lixo para as praias locais.

 

Um desenvolvimento muito esperado das responsabilidades internacionais do Canadá em direção ao ambiente marinho relaciona-se à Convenção MARPOL. Até hoje o Canadá não ratificou o Anexo V da Convenção MARPOL, embora tenha implementado suas provisões sob o Ato 2001 de Cargueiros do Canadá. Na reunião da IMO de julho de 2009, o governo do Canadá anunciou que uma proposta para ratificar o Anexo V, e outras convenções marítimas, serão colocadas na mesa para a Casa dos Comuns em 14 de setembro de 2009, como é requerido pela lei canadense. Um primeiro passo, e, espera-se, bem sucedido, em direção à ratificação.

Em resumo, no Canadá muitas iniciativas públicas, privadas, de ong´s e do governo para prevenir e combater o lixo marinho atualmente estão sendo implementadas, além daquelas que vêm sido conduzidas por muitos anos. Para muitos desses empreendimentos é melhor que sejam tardios do que nunca e, espera-se, que ainda haja tempo.

 

Praia de Valdez na Ilha Quadra, novamente limpa. Muitas focas, toninhas, peixe e algumas baleias vivem em águas da bonita Desolation Sound que atrai canoeiros do mundo todo.

Praia de Valdez na Ilha Quadra, novamente limpa. Muitas focas, toninhas, peixe e algumas baleias vivem em águas da bonita Desolation Sound que atrai canoeiros do mundo todo.

 

SOBRE O AUTOR

Valerie Thom, B. Ed.
Diretora Executiva,
PITCH-IN CANADA

 

Valerie Thom em sua praia favorita, Ilha Quadra, British Columbia, Canadá.

Valerie Thom em sua praia favorita, Ilha Quadra, British Columbia, Canadá.

 

O interesse de Valerie Thom pelo meio ambiente estende-se por mais de 40 anos.  Membro da primeira classe de graduados pela Universidade British Columbia como especialista em Ciência Elementar e Educação Ambiental, lecionou por oito anos na British Columbia. Durante esse tempo foi professora-patrocinadora voluntária do Outdoors Unlittered Club, como a PITCH-IN CANADA era então conhecida. Deixou de lecionar para trabalhar na PITCH-IN CANADA primeiro como Gerente de Programa, escrevendo, desenvolvendo e implementando programas educacionais e comunitários buscando levantar a atenção pública das responsabilidades de todos os indivíduos para manter e melhorar o meio ambiente. Entre os muitos de seus artigos autorais está o popular e largamente utilizado “Re-THINK” (Re-Pense), uma unidade educacional para escolas primárias, a qual encoraja estudantes a explorarem práticas de gerenciamento de resíduos sólidos em suas casas, escolas e em suas comunidades, demonstrando a importância de recusar, reduzir, reusar e reciclar assim como o gerenciamento apropriado de resíduos. Como diretora executiva, supervisiona desenvolvimentos em andamento na PITCH-IN CANADA para alcançar os sempre enormes desafios com que depara-se nos dias de hoje o nosso meio ambiente.

 

Este pequeno caranguejo estava procurando um almoço apetitoso ao limpar os pés de Valerie.

Este pequeno caranguejo estava procurando um almoço apetitoso ao limpar os pés de Valerie.

 

SOBRE A PITCH-IN CANADA

A PITCH-IN CANADA é uma organização não governamental sem fins lucrativos fundada em 1967 por muitos voluntários preocupados com a proliferação de embalagens e seus efeitos no ambiente terrestre e marinho. Eles reconheceram que ação pessoal, com a assistência de, mas sem depender de, governos e outros stakeholders, é necessária para conservar, realçar e proteger o meio ambiente e para reduzir, reciclar e reutilizar resíduos.

Hoje a PITCH-IN CANADA envolve milhões de voluntários em vários programas de ação, de iniciação em reciclagem e adubagem para limpeza e embelezamento de litorais, áreas selvagens e urbanas.

Sob a direção do seu Board nacional de diretores a PITCH-IN CANADA trabalha com outras organizações voluntárias, todos os níveis de governo, a mídia e outros interessados em apoiar e promover seus objetivos.

A PITCH-IN CANADA é um membro da Clean World International, desde 1976, e um dos fundadores e apoiadores do Clean up the World, 1992.

 

PITCH-IN CANADA



One Response to “ Lixo Marinho no Canadá ”

  1. ronaldo disse:

    O tema é muito imporetante para mim que estudo Gestão Ambiental no Brasil.

Leave a Reply to ronaldo