Jogar lixo nas piscinas naturais de Alagoas pode dar cadeia

Por causa da grande quantidade de lixo, as autoridades de turismo anunciaram uma medida radical.

 

25/01/10

Jogar lixo nas piscinas naturais de Alagoas pode dar cadeia

Por causa da grande quantidade de lixo, as autoridades de turismo anunciaram uma medida radical.

 

Os corais cercam, a maré incentiva e Maragogi, no litoral norte de Alagoas, ganha piscinas. Diversão que bate na altura da cintura, em pleno alto mar.

“Venho do Rio e descobri no guia. Fiquei maravilhada”, diz a turista Cláudia Paiva.

É uma festa com direito a comida e bebida à vontade. Tudo vendido por jangadas-bares que aproveitam a passagem de milhares de visitantes todos os dias. Mas tudo com fiscalização permanente para que o comércio não prejudique o motivo que traz todos até aqui.

 

 

“Ação primordial é garantir a qualidade do ambiente. O desafio é número de pessoas”, explica o chefe da APA Costa dos Corais Marcelo Françoso.

A natureza também fez uma piscina para a capital Maceió. Fica a dois quilômetros da orla. O passeio até lá é o único no Nordeste feito em jangadas.

“Todo mundo fala muito bem. Quem vem para Alagoas tem que conhecer”, sugere a turista Kelly Cristina.

“É o paraíso, não tem o que falar, é o paraíso”, elogia o turista Sílvio Luiz Gouveia.

O passeio dura, em média, uma hora e meia. É um vai e vem sem parar de mais de 100 jangadas com turistas. Já os bares flutuantes, depois de décadas no mar, vão ter de ficar na areia. O comércio nas proximidades dos corais está proibido nessas águas.

Há pelo menos seis meses, o conselho gestor da piscina natural da praia de Pajuçara vem recebendo denúncias de poluição. Alguns bares descartavam no local lixo, restos de alimentos e até óleo.

“Está definitivamente proibido. Por certo, vai haver uma avaliação técnica e legal para que se tiver que acontecer uma comercialização, que ela seja feita de forma adequada preservando, sobretudo, o nosso passeio”, afirma a secretária de Turismo de Maceió Cláudia Pessoa.

Quem descumprir pode ser preso por crime ambiental e pagar multa que vai de R$ 700 a R$ 100 mil.

Bom Dia Brasil



Leave a Reply