MPF investiga se houve tráfico de influência em anulação de multa no porto de Santos

O Ibama aplicou uma multa de R$ 10 milhões no porto de Santos, no litoral paulista, por falta de licença ambiental. Com um telefonema a multa foi cancelada e a interdição no porto anulada. Os fiscais que aplicaram a multa foram afastados dois dias depois.

 

 

Jornal da Record
publicado em 31/08/2010 às 20h23

MPF investiga se houve tráfico de influência em anulação de multa no porto de Santos

 

 

O Ibama aplicou uma multa de R$ 10 milhões no porto de Santos, no litoral paulista, por falta de licença ambiental. Com um telefonema a multa foi cancelada e a interdição no porto anulada. Os fiscais que aplicaram a multa foram afastados dois dias depois. Agora o Ministério Público Federal investiga se houve tráfico de influência.

R7 Vídeos

 

 

Embargo do Porto de Santos é anulado pelo Ibama

Brasília (08/07/2010) – A interdição do Porto de Santos, ocorrida ontem por cerca de três horas, foi resultado de iniciativa isolada de um grupo de três fiscais que seguiam ordem do chefe de fiscalização do Ibama em São Paulo, sem que houvesse conhecimento da Superintendência do instituto ou da Diretoria de Proteção Ambiental, responsável nacionalmente pelas operações de fiscalização dessa autarquia.

Portanto, a interdição temporária não foi uma ação institucional do Ibama.

O Porto de Santos foi instalado antes da vigência da legislação sobre licenciamento ambiental e, neste momento, encontra-se dentro do prazo de apresentação dos estudos ambientais ao Ibama. Como o Porto de Santos está regular, o presidente do Ibama, Abelardo Bayma, determinou o imediato desembargado, ainda na noite de ontem, e a apuração de responsabilidade dos servidores envolvidos no episódio.

Ascom/Ibama



Leave a Reply