O descaso continua em nosso litoral, em nosso país, em nosso planeta

Nos poucos mais de 4,7 km, encontrei diversos resíduos como garrafas PET, lâmpadas fluorescentes, lightsticks, embalagens de óleos combustíveis de embarcações, resíduos estrangeiros, roupas, calçados, recipientes de vidro, petrechos de pesca e, claro, os que mais sofrem com essa poluição que patrocinamos: animais marinhos.

 

 

 

Salvador, 02 de novembro de 2010 

O descaso continua em nosso litoral, em nosso país, em nosso planeta

 

@ Anselmo Chagas

@ Anselmo Chagas

 

Anselmo Chagas 

Em mais uma das minhas inúmeras andanças, percebo que cada vez mais nos deparamos com um problema sério a ser resolvido: os resíduos nas praias. Nos dias 14 e 15 de outubro realizei mais uma caminhada na Barra de Jacuípe, no litoral norte da Bahia - trecho onde não há trânsito de pessoas, por ser uma parte deserta da praia. Nos poucos mais de 4,7 km, encontrei diversos resíduos como garrafas PET, lâmpadas fluorescentes, lightsticks, embalagens de óleos combustíveis de embarcações, resíduos estrangeiros, roupas, calçados, recipientes de vidro, petrechos de pesca e, claro, os que mais sofrem com essa poluição que patrocinamos: animais marinhos.  

 

@ Anselmo Chagas

@ Anselmo Chagas

 

Não sei até onde continuaremos com esse descaso que oferecemos às nossas praias, ou melhor, aos nossos oceanos, tornando-os o lixão do mundo. No percurso que fiz, que foi do emissário submarino da Cetrel, até a desembocadura do rio Jacuípe, pude testemunhar além da grande quantidade de lixo, animais mortos, como uma tartaruga marinha ainda jovem. A quantidade de lixo é enorme e cada vez mais nos acostumamos com a questão do lixo em nossas vidas. Vejo que por mais que órgãos ambientais, governamentais e entidades independentes tentem falar sobre a importância da conscientização e da preservação, a maioria das pessoas ainda age como se o problema não fosse seu e sim do vizinho ao lado. Ultimamente vemos nos meios de comunicação (jornais, revistas, internet, rádio) os grandes problemas que isso traz para toda a sociedade. Tudo isso causa inúmeros prejuízos, não somente à vida marinha, mas também para a economia local, que acaba perdendo turistas, investimentos financeiros, e outros. Isso sem mencionar a questão da saúde pública, que acabamos tendo que conviver todas as vezes que nos deparamos com situações deste tipo, lixo na praia.  

 

@ Anselmo Chagas

@ Anselmo Chagas

 

@ Anselmo Chagas

@ Anselmo Chagas

 

Sabemos que existem diversas ações de ONGs e de pessoas que se disponibilizam a denunciar e mostrar crimes como esse todos os dias. Fico imaginando como será esse ano a reprodução das milhares de tartarugas marinhas que vêm para o litoral baiano, em especial, para desovar e se alimentar no período que vai de novembro a março. E, por incrível que pareça, é o período em que nós costumamos mais ir à praia, usando-a como um local de lazer, principalmente nos finais de semana. 

 

@ Anselmo Chagas

@ Anselmo Chagas

 

É por saber dessas inúmeras situações de descaso que podemos encontrar em nosso dia-a-dia, que continuarei realizando minhas caminhadas e meus monitoramentos praianos, visando a coleta, em específico, de lightsticks e lâmpadas fluorescentes. Também documentando fotograficamente essas ações e fazendo com que mais e mais pessoas tenham acesso a essas informações que estão sendo produzidas, além das ações que já estão em andamento. Creio que ainda teremos uma sociedade muito mais consciente da importância que cada um tem na manutenção dos nossos recursos naturais, do meio onde vivemos e, claro, de nós mesmos. 

 

@ Anselmo Chagas

@ Anselmo Chagas

 

Juntos podemos reverter essa realidade da qual fazemos parte, sabendo que não podemos nos acostumar com o lixo nas praias, nos rios, nos manguezais, nas ruas, nos oceanos, em nossas vidas. 

Anselmo Chagas é Gestor Ambiental pela Universidade Salvador e graduando em Ciência e Tecnologia com Área de Concentração em Ciências da Terra e do Mar pela UFBA.



2 Responses to “ O descaso continua em nosso litoral, em nosso país, em nosso planeta ”

  1. É isso Anselmo. Vamos continuar denunciando e ao mesmo tempo buscando ideias e soluções que possam mitigar e mesmo reverter este processo de repercussões extremamente negativas. Estamos juntos, Bernardo Mussi

Leave a Reply