Lixo pode ameaçar biodiversidade no Parque Marinho dos Abrolhos

A quantidade de lixo encontrada no Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, extremo sul da Bahia, preocupa. Um dos destinos de ecoturismo mais ricos em biodiversidade do Brasil e do mundo reúne, além de belezas naturais, muitos resíduos que podem comprometer a qualidade de suas águas e, por consequência, a saúde de diversas espécies marinhas.

 

 

27/10/2010

Lixo pode ameaçar biodiversidade no Parque Marinho dos Abrolhos

Local é Unidade de Conservação e se destaca por suas belezas naturais

 

© Instituto Baleia Jubarte

© Instituto Baleia Jubarte

 

A quantidade de lixo encontrada no Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, extremo sul da Bahia, preocupa. Um dos destinos de ecoturismo mais ricos em biodiversidade do Brasil e do mundo reúne, além de belezas naturais, muitos resíduos que podem comprometer a qualidade de suas águas e, por consequência, a saúde de diversas espécies marinhas. A constatação veio depois de um mutirão de limpeza realizado no local que carrega o status de Unidade de Conservação, tamanha sua importância. A ação foi fruto da parceria entre Instituto Baleia Jubarte, Patrulha Ecológica – Escola da Vida,  ICMBio-Caravelas e Organização Sócio-Ambiental Jogue Limpo. O resultado? Mais de 337 Kg de lixo (distribuídos em 100 sacos plásticos) em três horas de coleta.

 

© Instituto Baleia Jubarte

© Instituto Baleia Jubarte

 

A atividade reuniu 68 participantes que recolheram, entre outras coisas, papelão, plástico, tecido, espuma, metal, nylon, borracha, isopor e vidro. No meio destes resíduos, teve quem encontrasse capacete, boneca, sapato, pneu e até roupa de mergulho. De acordo com o geógrafo e Educador Ambiental Kid Aguiar, ações como esta devem ser feitas com mais freqüência. Preocupado, o ambientalista faz um alerta: “durante a limpeza em Abrolhos foram encontradas cavernas sendo transformadas em verdadeiros lixões que podem ameaçar a biodiversidade local”.

 

© Instituto Baleia Jubarte

© Instituto Baleia Jubarte

 

Após a pesagem dos resíduos é necessário uma caracterização do material, levando-se em conta suas especificidades e seu país de fabricação. O lixo internacional agrupado, reunido em 23 volumes, somou 8,96 Kg. Ele é de países como EUA, China, Japão, Uruguai, Holanda, Malásia, Turquia, Grécia, Portugal e Espanha, entre outros. Entre o lixo doméstico foram identificados material de pesca e de mergulho e frascos lubrificantes descartados no mar por embarcações que navegam no Banco de Abrolhos.

 

© Instituto Baleia Jubarte

© Instituto Baleia Jubarte

 

Apoiaram a ação a agência Horizonte Aberto Catamarans, a ZM Embalagens - Sacos de Lixo Oxi-biodegradáveis, a Marinha do Brasil e a ECOMAR.

Yes Assessoria e Comunicação

 

 

21/10/2010

Arquipélago de Abrolhos reúne mutirão em prol da limpeza das praias

Instituto Baleia Jubarte, Patrulha Ecológica – Escola da Vida, ICMBio-Caravelas e Organização Sócio-Ambientalista Joguelimpo se reúnem para estudar o impacto da ação humana no Parque Nacional Marinho dos Abrolhos

 

© Instituto Baleia Jubarte

© Instituto Baleia Jubarte

 

O Parque Nacional Marinho dos Abrolhos é um arquipélago formado por cinco ilhas de origem vulcânica, localizado a 32 milhas náuticas da cidade de Caravelas (BA). O local é também o maior berço reprodutivo das baleias jubarte em todo o Atlântico sul Ocidental, e um dos destinos de ecoturismo mais ricos em biodiversidade do Brasil e do mundo. E é para garantir vida longa a esta unidade de conservação e para chamar a atenção das comunidades próximas e da sociedade em geral para sua importância e riqueza natural, que no próximo domingo, dia 24 de outubro, será realizado um mutirão de limpeza, coleta e pesagem dos resíduos sólidos que chegam ao arquipélago provenientes, em sua maioria, de descartes no oceano.

De acordo com o geógrafo e educador ambiental do Instituto Baleia Jubarte e Patrulha Ecológica, Kid Aguiar, ao contrário do que muitos possam imaginar, a região tem se tornado, apesar do difícil acesso, alvo de resíduos. “O arquipélago recebe resíduos que chegam pelo mar, oriundos de embarcações de diferentes procedências que navegam pelo Banco de Abrolhos. Isso sem dizer do lixo que o oceano carrega, vindo de outras áreas”, afirma.

Coordenam e participam dessa ação o Instituto Baleia Jubarte, o Patrulha Ecológica – Escola da Vida, a Organização Sócio-Ambientalista Joguelimpo e o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, com apoio da Marinha do Brasil, da Agência Horizonte Aberto Catamarã, ZM Embalagens - Sacos de Lixo Oxi-biodegradáveis e ECOMAR.
A proposta da iniciativa é fazer um diagnóstico da região, para que seja possível analisar o tipo de lixo mais comum, avaliar os processos dinâmicos do ambiente, o impacto da presença humana nas ilhas e os efeitos cumulativos relacionados às mais variadas ações humanas estimuladas pela visitação ao arquipélago.

O Parque Nacional Marinho dos Abrolhos
O Parque foi criado com a finalidade de preservar atributos excepcionais da natureza, conciliando a proteção integral da flora e fauna com a utilização para fins educacionais, recreativos e científicos, de acordo com normas estabelecidas pelo ICMBio. No total, são cinco ilhas de formações rochosas: Ilha de Santa Bárbara, Siriba (à direita), Redonda, Sueste e Guarita. A formação coralina de Abrolhos, chamada de “chapeirão” é única no mundo.

Yes Assessoria e Comunicação



One Response to “ Lixo pode ameaçar biodiversidade no Parque Marinho dos Abrolhos ”

  1. [...] This post was mentioned on Twitter by Global Garbage, Aldem Bourscheit and Ana Frescaddinni, Lis Duarte. Lis Duarte said: RT @GlobalGarbage: Lixo pode ameaçar biodiversidade no Parque Marinho dos Abrolhos http://bit.ly/dnXZtK [...]

Leave a Reply