O Carnaval e o Forte

Diante de tantas polêmicas recentes envolvendo o carnaval na Barra por conta dos seus impactos negativos aos patrimônios culturais e ambientais, que tal considerar a própria folia como uma das grandes responsáveis pela revitalização do bairro e suas potencialidades sócio culturais?

 

 

Bernardo Mussi

01/11/2010

O Carnaval e o Forte

 

Forte Santa Maria. Um Espetáculo!

Forte Santa Maria. Um Espetáculo!

 

Diante de tantas polêmicas recentes envolvendo o carnaval na Barra por conta dos seus impactos negativos aos patrimônios culturais e ambientais, que tal considerar a própria folia como uma das grandes responsáveis pela revitalização do bairro e suas potencialidades sócio culturais?

Uma festa tão grande que consegue movimentar milhões de dólares e tem uma projeção internacional sem precedentes é um excelente produto para promover algumas contrapartidas necessárias ao desenvolvimento sustentável de Salvador.

 

Da janela do Forte

Da janela do Forte

 

Gostaria, por exemplo, que o Carnaval de 2011 fosse lembrado para sempre como aquele que se preocupou verdadeiramente com a qualidade de vida das pessoas da nossa cidade restaurando o Forte de Santa Maria no Porto da Barra. Esta medida seria um primeiro passo para aproveitar a milionária folia em favor de uma ação de interesse difuso, coletivo, que teria aproveitamento perene por esta e as futuras gerações.

O Forte Santa Maria é um patrimônio tombado pela União que se enquadra perfeitamente na redação do artigo 216 da Constituição Federal que fala dos Patrimônios Culturais Brasileiros, e que por este motivo simboliza um valor sem precedentes para o país.

 

O Forte à noite

O Forte à noite

 

Gostaria de ver artistas, donos de camarotes, empresas patrocinadoras, blocos e todos aqueles que enchem as suas contas bancárias por conta da alegria efêmera dos foliões, que só fazem gastar, unidos para realizarem algo tão positivo.

Gostaria de ver o Carnaval como uma verdadeira ferramenta de transformação social capaz de ajudar a iniciativa pública a enfrentar os desafios da educação, da saúde e da cultura das pessoas. É possível acabar com a impressão de que este é um evento que apenas privatiza seus lucros e socializa seus prejuízos, a exemplo das imagens fortíssimas que foram exibidas após o Carnaval de 2010, com fundo do mar da praia da Barra repleto de latinhas de cerveja.

 

O Fundo da Folia

O Fundo da Folia

 

Tenho certeza que deixar esta obra tão necessária para a cidade é algo plenamente possível. Existem muitos artistas com criatividade e comprometimento verdadeiro com a cultura da nossa cidade que podem enxergar a maneira de realizar este feito.

Estou certo, também, que os grandes financiadores da folia poderão se sensibilizar com a causa ao perceberem que mais vale investir em um patrimônio desta grandeza do que continuar patrocinando a mesmice decadente de algumas iniciativas carnavalescas completamente insustentáveis.

 

Paisagem apreciada pelo mundo

Paisagem apreciada pelo mundo

 

O Forte Santa Maria restaurado poderá servir a diversas atividades educativas, culturais e de turismo permanentes. O Forte que encanta a Praia do Porto da Barra a ponto de projetá-la para o mundo como uma das mais belas entre todas, e que está agonizando à sua própria sorte, merece esta justa homenagem.

Fico na torcida aguardando que os Deuses, os Orixás e todas as outras formas de poder superior possam tocar no coração de alguém que seja do bem e que tenha o dom do convencimento para conseguir agregar pessoas influentes em torno deste projeto.

 

Porto da Barra sem igual

Porto da Barra sem igual

 

Pessoas que possam perceber o alcance de uma ação verdadeiramente cultural como essa e que vai alcançar efeitos extremamente positivos, inclusive na educação da nossa gente.

Assim é que o carnaval poderá começar a se tornar um grande parceiro dos nossos patrimônios culturais e ambientais, saindo da condição de mero promotor de alegrias transitórias e de resultados culturalmente questionáveis, para assumir uma postura verdadeiramente comprometida com o desenvolvimento da própria cultura nacional.

 

O Forte que o Carnaval vai restaurar

O Forte que o Carnaval vai restaurar

 

O mínimo que a Barra merece pelos castigos carnavalescos sofridos ao longo de tantos anos é uma contrapartida desse nível. O Carnaval e o Forte devem fazer as pazes por uma cidade melhor.

Pra começar a socializar os lucros da milionária folia em favor de um patrimônio cultural brasileiro tão importante.

 

Clique aqui para ler outros textos de Bernardo Mussi



One Response to “ O Carnaval e o Forte ”

  1. É isso aí, Bonga, vamos continuar chamando a atenção dessas “autoridades” na defesa do meio ambiente e do patrimônio histórico e cultural da nossa Barra!

Leave a Reply to Luciana Pit Abreu