Os anjos estão de olho

A TRISTEZA DAS CRIANÇAS, última matéria que escrevi relatando o mergulho com duas crianças quando encontramos centenas de latinhas no fundo do mar, me deixou super inquieto por não ter respondido a minha filha e sua coleguinha, ambas com 10 anos de idade, os motivos pelos quais ninguém fazia nada para evitar aquelas cenas.

 

 

Bernardo Mussi

26/11/2010

Os anjos estão de olho

 

Cartão postal do Fundo da Folia

Cartão postal do Fundo da Folia

 

A TRISTEZA DAS CRIANÇAS, última matéria que escrevi relatando o mergulho com duas crianças quando encontramos centenas de latinhas no fundo do mar, me deixou super inquieto por não ter respondido a minha filha e sua coleguinha, ambas com 10 anos de idade, os motivos pelos quais ninguém fazia nada para evitar aquelas cenas.

 

Anjos que amam a natureza

Anjos que amam a natureza

 

Não deu outra, decidi fazer a retirada daquele material do fundo do mar com elas participando da ação. Estava certo que seria a melhor maneira de responder, em parte, àquela perguntinha tão curta, tão direta e tão difícil.

Quando dei a notícia que iríamos mergulhar no dia seguinte para catar latinhas, elas ficaram em êxtase.  Seus olhos se arregalaram com o brilho natural da inocência dos anjos, e logo senti que teria a oportunidade de pôr meu plano em prática.

 

O alvo

O alvo

 

Elas foram dormir cedo cheias de expectativas e eu, muito pensativo, demorei de pegarno sono tentando antecipar respostas a possíveis perguntas que poderiam vir ao final daquele novo mergulho.

Combinei com os amigos Zé Augusto e Fabio Medeiros, os mesmos que participaram do FUNDO DA FOLIA, e chamei o Anselmo, um cara que faz um bom trabalho sobre o lixo pelas praias da orla da Bahia. Minha mulher também não quis ficar de fora e se juntou ao grupo para ajudar no trabalho. Sentimos falta do Francisco Pedro, o KIKO, biólogo que foi um dos resposnáveis pelo FUNDO DA FOLIA mas que não pôde participar por motivo de viagem.

 

A concentração estava no Porto

A concentração estava no Porto

 

No dia seguinte pela manhã, reunimo-nos no Farol da Barra e começamos o mergulho na direção do Porto da Barra.  A água estava com pouca visibilidade o que dificultou a identificação de alguns pontos no início do percurso.

Catamos algumas poucas latinhas onde ocorreu O FUNDO DA FOLIA, porém, o grande volume estava na área do Porto da Barra onde ficamos estacionados por mais de 2 horas mergulhando, ensacando, colocando nos “Stand Ups” (pranchões) e documentando toda a ação em fotos e vídeos. Recolhemos algo em torno de 400 latinhas e tivemos que fazer duas viagens para levar o material para a areia.

 

Equipe tirando "uma leva"

Equipe tirando "uma leva"

 

Em razão das condições de visibilidade, da mudança da maré e do cansaço apresentado pelas crianças não conseguimos vasculhar outras áreas e decidimos encerrar a operação.

 

Antes dos catadores

Antes dos catadores

 

Levamos o material para a calçada do Forte Santa Maria, fizemos algumas fotos e imagens em vídeo, demos uma analisada superficial sobre a qualidade das embalagens e, antes que as jogássemos no container, apareceram dois catadores de rua para completar parte do ciclo que deveria ser obrigatório em relação ao descarte deste lixo.

 

Contraste

Contraste

 

Nossa missão estava terminada. Ficamos super satisfeitos pelo resultado da ação. É sempre muito prazeroso o mergulho na Baia de Todos os Santos ao lado de monumentos tão belos como o Farol da Barra, o Forte de Santa Maria e a paisagem deslumbrante da Barra. Mesmo a água estando com pouca visibilidade e o visual apresentar um contraste desolador com todo aquele lixo.

Fiquei na expectativa de ouvir as crianças. Eu sabia que aquele mergulho havia contribuído para a formação de suas consciências através de uma atividade que ficaria registrada para o resto de suas vidas.

 

Os anjos encontraram parte da resposta

Os anjos encontraram parte da resposta

 

Só não esperava, pelo silêncio, que elas tivessem encontrado uma resposta razoável sobre a questão formulada no primeiro mergulho sem que eu precisasse dizer uma única palavra. Acho que perceberam que quando se tem vontade e determinação alguém pode fazer alguma coisa, mesmo que em pequenas proporções.

Lá adiante, quando ficarem um pouco mais sabidas, a pergunta vai ser a mesma que faço atualmente e que continua sem resposta:

Por que não existe uma política pública realmente séria para acabar com o FUNDO DA FOLIA?

 

Mergulhador profissional e videomaker Fabio Medeiros é um grande aliado nestas ações

Mergulhador profissional e videomaker Fabio Medeiros é um grande aliado nestas ações

 

Vai ser difícil tentar explicar algo tão inexplicável, ainda mais para quem fez alguma coisa sem qualquer pretensão comercial ou política, como minúsculas formiguinhas, na intenção sincera de estar ajudando o meio ambiente e a qualidade de vida das pessoas que jamais imaginaram conhecer.

Vai ser complicado tentar defender os políticos e os gestores públicos quando elas entenderem que eles é que organizam o formigueiro e possuem os meios para resolver o problema pela raiz.

 

Vamos continuar mostrando O Fundo da Folia

Vamos continuar mostrando O Fundo da Folia

 

Até lá vamos continuar fazendo a nossa parte. Vamos continuar mergulhando, catando latinhas, escrevendo nossas experiências e alimentando as cabecinhas de anjo com ações e idéias positivas.

 

Os anjos estão de olho

Os anjos estão de olho

 

Assim é que manteremos acesa a chama da esperança pelas tão sonhadas políticas públicas que impeçam a continuidade da TRISTEZA DAS CRIANÇAS e do FUNDO DA FOLIA.

Agora com os anjos de olho…

 

 

Clique aqui para ler outros textos de Bernardo Mussi



5 Responses to “ Os anjos estão de olho ”

  1. reagentes disse:

    A gente fica inconformada com esse pessoal que continua jogando lixo no mar com tanta informação a respeito. Mas ainda bem que existem muita gente fazendo o BEM!

  2. Iara disse:

    Amigo, fiquei emocionada com essa matéria, é tão bom ver alguem pondo “a mão na massa“; um exemplo de cidadão. Parabéns!

  3. Helder Leite disse:

    Educação é um processo de construção do ser!
    Precisamos construir e oportunizar mecanismos de ação em pról do meio ambiente.
    PARABÈNS!!!

  4. Christina Araújo disse:

    Parabéns pelo seu magnífico trabalho de conscientização (e sobretudo de AÇÃO). É disso que precisamos!

  5. Obrigado por seu trabalho. sem ele fica muito mais dificil sobreviver.

Leave a Reply to Christina Araújo