Lixo reciclável já pode ser trocado por descontos na conta de luz de moradores de Botafogo e do Humaitá

O lixo reciclável de quem vive no Morro Dona Marta e nos bairros de Botafogo e no Humaitá agora tem valor e vai poder ser trocado por descontos na conta de luz das residências destas três regiões da cidade. O benefício, que será concedido a partir desta quinta-feira e faz parte do projeto Light Recicla, foi apresentado à população às 10h, num evento na quadra da escola de samba Mocidade Unida do Santa Marta.



10/08/2011

Lixo reciclável já pode ser trocado por descontos na conta de luz de moradores de Botafogo e do Humaitá

Antônio Tota, comerciante, também vai economizar na conta de luz. Foto de Gabriel de Paiva/Agência O Globo


Ediane Merola – ediane@oglobo.com.br

RIO – O lixo reciclável de quem vive no Morro Dona Marta e nos bairros de Botafogo e no Humaitá agora tem valor e vai poder ser trocado por descontos na conta de luz das residências destas três regiões da cidade. O benefício, que será concedido a partir desta quinta-feira e faz parte do projeto Light Recicla, foi apresentado à população às 10h, num evento na quadra da escola de samba Mocidade Unida do Santa Marta. A agremiação, por exemplo, já está fazendo as contas da economia e espera juntar material o suficiente para pagar a sua despesa mensal com energia, que está em torno de R$ 440.

- Todo fim de semana tem festa na quadra e recolhemos, em média, 50 quilos de latas de alumínio. Antes, a pessoa que é paga para fazer a limpeza levava as latinhas, mas agora vai ficar aqui. Acredito que vamos arrecadar uns R$ 150 por semana e, de repente, vai sobrar crédito para o mês seguinte – contou Haroldo Fully, presidente da escola.

Cada quilo de lata de alumínio vale, atualmente, R$ 2,30. Mas esse dinheiro não vai diretamente para o bolso do cliente da empresa de energia. Ele é convertido em desconto. O projeto, que futuramente poderá ser implantado em outros pontos da cidade, a partir de comunidades pacificadas, funciona assim: os moradores dessas três áreas terão que ir a um dos dois estandes, batizados de eco-pontos, levando uma conta de energia. As barracas – que têm teto de plástico reciclado – funcionarão das 7h30m às 13h, na primeira estação do Plano Inclinado do Dona Marta (segundas, quartas e sextas-feiras) e na Rua São Clemente 312, em Botafogo (terças e quintas-feiras). Somente clientes residenciais e algumas instituições, como a escola de samba e a associação de moradores do morro, poderão se cadastrar para receber um cartão com o seu código pessoal. Donos de imóveis comerciais também podem participar doando seu bônus. Antônio Custódio da Silva, proprietário de um bar na subida da favela, no entanto, vai usar o lixo reciclável coletado no estabelecimento para pagar a conta de sua casa:

- Pago quase R$ 100 de luz, acho que posso zerar isso. Posso juntar latinha, papel, vidro. Até ontem eu jogava isso fora. Agora pode servir para economizar um dinheiro, que será bem-vindo nas despesas de casa – disse Antônio.

Segundo a Light, cerca de 1.650 moradores do Dona Marta e aproximadamente 50 mil de Botafogo e do Humaitá poderão ser beneficiados pelo projeto, que além de gerar renda indireta para as famílias, contribui para a redução de danos ao meio ambiente e promove saúde entre os moradores.

- O projeto estimula a reciclagem e contribui para o desenvolvimento sustentável. A comunidade foi pacificada, mas o lixo continua nas ruas. Isso precisa ser reduzido, até para melhorar a autoestima das pessoas – frisou a gerente de relacionamento com as comunidades da empresa, Fernanda Mayrink.

O valor pago por cada material, diz Fernanda, costuma variar. Atualmente, garrafas, papéis e plásticos rendem descontos de R$ 0,10 a R$ 0,25 por quilo. Óleo de cozinha vale R$ 0,70 por litro e, a garrafa PET, R$ 1 o quilo. Dona de uma banca de jornais no Largo dos Leões, no Humaitá, Maria Elisa Figueira já tinha escutado falar no projeto, mas não sabia que podia ser beneficiada por ele:

- Eu jogo fora uns 15 quilos de jornal todo dia. Jogava, né? – disse a jornaleira, que pode entregar o material nos eco-pontos e, no fim do mês, conseguir mais de R$ 30 de desconto na sua conta, que gira em torno de R$ 90.

Superintendente de relacionamento com as comunidades, Mário Romano conta que ainda é preciso uma mudança cultural para que as pessoas entrem de vez a onda da reciclagem:

- Temos que conscientizar, ensinar a reciclar. Não pode levar o lixo sujo, com resíduos. Mas esse é um trabalho que vale a pena, pois ajuda na renda do morador e permite à Light reduzir a inadimplência.

Para Pierre Avila, presidente da ONG Atitude Social, do Dona Marta, esse é um trabalho de reciclagem que une as pessoas em prol da natureza. José Mário Hilário dos Santos, presidente da Associação de Moradores do Morro Dona Marta, diz que já começou a separar o material em casa e na instituição:

– Tudo o que antes ia para o lixo, agora guardo na laje, protegido contra a chuva, para trocar no eco-ponto.

Todo o lixo reciclável arrecadado será encaminhado para a BrasilPet Reciclagem, que dará uma destinação correta ao material. O projeto, que tem o apoio da Comlurb, da UPP Social e das secretarias municipais de Meio Ambiente, Assistência Social e Conservação, também conta com a parceria da 3E Engenharia e da ONG Eccovida.

O Globo




11/08/11

Light Recicla dá desconto na conta de energia em troca de materiais recicláveis em bairros da Zona Sul do Rio

Projeto piloto sustentável de geração de renda inicia ação na Comunidade Santa Marta e nos bairros de Botafogo e Humaitá

Existe um ditado que diz que “dinheiro não dá em árvore”. Mas ele pode estar na garrafa plástica, nos jornais já lidos, nos CDs inutilizados e muitos outros materiais que podem ser reciclados ou reutilizados. Porque no meio ambiente “lixo é o que se joga fora, não é mais útil”. Portanto, não se surpreenda se, de repente, moradores de Botafogo, do Humaitá e da Comunidade Santa Marta começarem a ver em objetos considerados lixo uma nova fonte de renda.

Um projeto piloto da Light promove o desenvolvimento sustentável, em parceria com a Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, recebendo materiais recicláveis de moradores destas áreas e trocando-os por bônus na conta de energia.

O Light Recicla foi lançado esta manhã na Quadra da Escola de Samba da Comunidade Santa Marta e disponibilizará, a partir de hoje, dois Eco-Pontos fixos na região (ver endereços abaixo), que receberão vários tipos de lixo reciclável, tais como garrafas PET, sacolas e embalagens plásticas, CDs e DVDs, materiais PVC, papéis, metais, vidros, embalagens longa vida e óleo de cozinha. Cada item terá um preço por peso que vai gerar crédito na conta de energia escolhida pelo participante.

Os moradores de Botafogo, do Humaitá e do Santa Marta poderão optar também por realizar doações para instituições na comunidade. Neste último caso, o projeto se estende à população de outras localidades. O projeto piloto terá duração de um ano e a ideia é que, após ser implantado no Santa Marta, em Botafogo e no Humaitá, o projeto possa ser estendido para outras comunidades pacificadas e seus bairros adjacentes, no Rio de Janeiro.

A Light vem seguindo a esteira do Estado e desenvolvendo ações nas comunidades pacificadas. Trata-se de um pacto, no qual a companhia passa a prestar serviços com qualidade e o cliente passa a pagar sua conta de energia. Para o presidente da Light, Jerson Kelman, “o Light Recicla representa um novo compromisso dos moradores da comunidade, só que desta vez, não apenas com a empresa, mas com eles próprios. Reutilizar e reciclar materiais contribui com a limpeza das ruas, com a saúde da população e com o meio ambiente. Neste projeto, além destes benefícios, o cliente pode reduzir a conta de energia de forma a caber no seu bolso e usar o dinheiro economizado para gerar renda na própria comunidade.”

Para consolidar o Light Recicla, a empresa atua em conjunto com 3E Engenharia, BrasilPet Reciclagem e com a ONG Eccovida e tem o apoio das Secretarias Municipais de Meio Ambiente, Assistência Social, Conservação e Serviços Públicos, Comlurb e UPP Social.

Segundo o Vice-prefeito e Secretário Municipal de Meio Ambiente, Carlos Alberto Muniz, essa ação inovadora no Município do Rio demonstra a grande importância sócio-ambiental que tem essa iniciativa da Light. “Esse projeto permitirá maior conscientização por parte da população com relação às questões sobre os resíduos sólidos e como devemos reduzi-los na natureza. Assim, esperamos que haja uma mudança cultural, de comportamento mesmo, que traga para a cidade e seus moradores melhor e mais qualidade de vida.”

Parceiro no projeto, a secretário Municipal de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Roberto Osorio, fala do Light Recicla: “A Prefeitura do Rio apoia as iniciativas que incentivam todas as práticas que visam à sustentabilidade. Essa parceria com a Light trará bons resultados tanto para a comunidade com para o meio ambiente”.

A subsecretária de Proteção Social Básica, Fátima Nascimento, define a importância. “O projeto “Light Recicla” vem ao encontro da nova perspectiva da SMAS: a discussão de novos paradigmas de ações sociais, que permitirão o desenvolvimento de temas, de suma importância para a população, principalmente, as de baixa renda.


Materiais recebidos pelo Light Recicla:

· PET – refrigerante e água

· Plástico duro – embalagens de xampu, detergente, margarina, baldes, bacias etc

· Plástico filme – sacolas plásticas, embalagens de arroz, feijão, açúcar etc

· CDs

· Embalagens plásticas metalizadas

· PVC – canos, forros etc

· Papel – branco, misto (revistas, encartes etc), papelão, jornal

· Metais – latas de cerveja e refrigerante, ferros em geral, arames, pregos, bateria de carro etc

· Vidro – embalagens, garrafas de cerveja e refrigerante, copos etc

· Embalagens longa vida (leites, sucos e achocolatados)

· Óleo de cozinha


Materiais que não serão aceitos:

· Lâmpadas em geral

· Pilhas

· Espelhos e vidros planos

· Papel carbono ou plastificado

· Isopores

· Esponjas de aço

· Cerâmicas e porcelanas

· Madeiras

· Fraldas descartáveis

· Espumas

· Óleo lubrificante

· Cabos e fios

· Tintas

· Tecidos

· Couros

· Pneus


Endereços dos Eco-Pontos:

1) Estação 1 do Plano Inclinado do Santa Marta - Av. Marechal Francisco Moura s/n (acesso pela praça Corumbá) – Seg.Quarta e Sexta das 07h30 às 13hs.

2) CRAS Padre Velloso – Rua São Clemente, nº 312 – Botafogo – terça e quinta das 07h30 às 13hs.

No início, somente o Eco-Ponto do CRAS estará funcionando.


Documentos que o cliente deve levar para receber desconto em sua conta:

- Conta de luz

OBS: Durante o projeto piloto, somente moradores de Botafogo, do Humaitá e do Santa Marta podem se cadastrar para receber o desconto.


Quais documentos o cliente deve levar para doar bônus para instituições do Santa Marta?

- Não é necessário levar nenhum documento. Ao efetuar a troca de seus resíduos indique, entre as três opções abaixo, a instituição a ser beneficiada.

- Associação de Moradores do Santa Marta

- ONG Atitude Social

- Escola de Samba G.R.E.S Mocidade Unida do Santa Marta

OBS: Os moradores de outros bairros da Cidade do Rio de Janeiro também podem contribuir neste último caso, levando materiais recicláveis e “doando” a cota referente ao desconto.

Light S.A.



4 Responses to “Lixo reciclável já pode ser trocado por descontos na conta de luz de moradores de Botafogo e do Humaitá”

  1. Marcio Jayme disse:

    O povo tem que acabar com essa ieia de que reciclagem e alguma caridade, vccs acham que a light ia investir se nao tivesse um retorno seguro, vejo isso como o primeiro passo para um grande numero de pessoas que vivem de reciclagem perderem suas fontes de renda, sonegaçao de imposto da light ou seja aquilo que esse prefeito fez esses anos que esta por aqui.O povo tem que ir conra essa ideia o mais rapio possivel

  2. Patrícia Bezerra disse:

    Parabéns pelo Projeto mas não deve estar restrito a esta área da cidade. Todas as comunidades e a a cidade como um todo merecem serem incluídas num Projeto desta natureza. Eu adoraria ter a oportunidade de transformar meu lixo e o da minha vizinhança em desconto na conta de luz, deágua e outros.

  3. Cristina Reis disse:

    Uma boa iniciativa que deveria ser ampliada para as outras comunidades populares e para o asfalto.

  4. Fábio Lameiro disse:

    O brasileiro é um povo engraçado, não? A reciclagem era para ser feita por TODOS, não interessa se com descontos na conta de luz ou em qualquer outra conta. O planeta é usufruido por todos e NÓS devemos cuidar melhor dele, sem pensar em receber nada em troca. Afinal de contas, já “moramos” nele de graça, não é verdade?

Leave a Reply